Mulher “fácil”

Já vi muitas mulheres dizerem que não gostam de agir como uma “mulher fácil”, pois isso desestimula os homens. Então vou tentar explicar o que leva um homem a pensar isso.

O ideal masculino em relação a si mesmo é daquele que realiza, busca desafios, enfrenta obstáculos e derrota inimigos. Por isso os vídeo games os entretêm por horas, ali se sentem vencedores. Quanto maior o desafio e mais cobiçado o prêmio mais eles validam a si mesmos como campeões imbatíveis.

Por que um carro esportivo (tipo Camaro) é um objeto de desejo masculino?

1 – Tem poucos no mercado, ou seja, a escassez cria um grupo seleto.

2 – São muito caros e isso qualifica seus compradores como homens ricos e distintos.

3 – São muito cobiçados pelos outros homens.

Ainda que essa regra sirva também para as mulheres e as bolsas Louis Vitton e sapatos Louboutin estou falando sobre o processo de escolha dos homens.

Sem comparar injustamente, mas as mulheres enquanto alvo de desejo masculino também passam por esse crivo. Se ele se tem uma chave na mão quer ter a certeza que a fechadura não poderá ser aberta por nenhuma outra chave e o critério que usa é a sexualidade. Machismo puro, concordo, e não sou conivente com isso, mas é o que se vê comumente. Até porque estamos aqui para falar o que de fato acontece e não o que é bonitinho ou não.

Se o homem vê uma mulher muito cobiçada por ser muito atraente isso aumenta o interesse, mas se ela for psicológica e sexualmente pouco complexa ele terá um raciocínio instintivo que dirá: “se eu não chegasse poderia ser qualquer outro”.

Seguindo esse pensamento ele não se sente exclusivo e importante, mas igual a qualquer outro mortal. É nessa hora que ele diz: “mulher fácil”. Ela não valida o ideal de si mesmo que consegue subir o monte Everest social para ter a joia mais cobiçada do mundo.

Se essa mulher tiver saído com alguém da sua roda de amigos e ele fantasiar que sua potencial namorada já passou na mão de algum conhecido isso irá fazê-la descer na sua escala de importância e prioridade.

Acho que todos somos responsáveis em alguma medida por criar esse tipo de opressão sexual sobre as mulheres ao chamar uma mulher sexualmente livre de fácil, vagabunda ou galinha. Portanto, homens e mulheres, se não quiserem perpetuar essa ideia que transforma a mulher num objeto de desejo e descarte masculino, deverão trabalhar duro para acabar de vez com essa história de fácil ou difícil.

Sobre Frederico Mattos

Sonhador nato, psicólogo provocador, autor do livro "Como se libertar do ex". Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas medita, cultiva um jardim, lava pratos, ama Juliana e escreve no blog Sobre a vida [www.sobreavida.com.br]. No twitter é @fredmattos.

Leia mais posts de Frederico Mattos Saiba mais sobre Frederico Mattos