Dar um tempo no namoro

Sinceramente acho isso uma babaquice.

Na maioria das vezes essas histórias sempre se repetem e o que muda é somente o endereço e os personagens.

Para a maioria de nós homens dar um tempo no namoro é algo mais ou menos assim: “vou ver como eu fico sozinho, se eu não pegar ninguém ou sentir muito a sua falta eu volto, beleza?”

Problemas comuns de um relacionamento devem ser resolvidos juntos, até porque não existe nenhum milagre além do diálogo.

Se for pra ser assim prefiro terminar, não gosto dessa coisa de: “não quero ficar contigo, mas também não quero que você fique com ninguém”. Gosto da liberdade, faça o que você quiser e eu faço o que eu quiser, simples assim.

Dar um tempo no namoro é uma maneira de terminar sem ter que aguentar todas as consequências de um término. Por mais que não seja por mal de certa forma você está prendendo a pessoa, nisso você tem aquela segurança de que a pessoa ainda é sua e quando você quiser pode tê-la de volta.

As pessoas vivem em constantes testes, sempre testando os limites dos outros e em constante medo de perder. Resumindo, na maioria das vezes essa situação é uma sacanagem com quem está do outro lado e principalmente com quem acredita que essa talvez seja a melhor solução para dar continuidade em algo que só uma das partes já sabe que acabou.

O mundo precisa de pessoas mais decididas.

Tudo depende muito das circunstâncias, mas sendo bem realista na maioria das vezes “dar um tempo” é abrir a porta para alguma merda acontecer. Você fica se enganando e enganando o próximo, pois tem receio de perder o que você denomina como “gostar” e eu como “comodidade”.

Em certos casos a distância pode ajudar a ressaltar alguns valores que estão perdidos dentro do relacionamento, mas isso é diferente de dar um tempo, digamos que seja um momento de leve distanciamento com um simples intuito de sentir saudade e rever a autovalorização de cada um.

É complicado compreender como pessoas que dizem se “gostar” necessitam de um tempo para saber se realmente o relacionamento tem futuro. Se você acha que tem muito o que viver, termine e pare de ficar prorrogando a felicidade de ambos.

As pessoas podem fazer o que quiser, menos achar que fazer o outro de idiota é ser inteligente.

Sobre Frederico Elboni

Pode me chamar de Fred. Chato e ranzinza por opção. Apaixonado pelo comportamento humano e suas facetas. Autor roteirista do Amor & Sexo da Globo. Apaixonado pelos conhecimentos empíricos da vida, sushi e nhá benta. Acredito fidedignamente na teoria que os sorrisos podem curar qualquer coisa. Agora, deixe-se envolver pelo blog e pare de olhar a minha cara de mamão. Ah, e autor do livro "Um sorriso ou dois".

Leia mais posts de Frederico Elboni Saiba mais sobre Frederico Elboni