Balada: diversão ou duelo de egos?

Balada: diversão ou duelo de egos?

Mais que uma pergunta, um dilema. Após várias saídas desastrosas você mais uma vez se predispõe a sair e tentar conhecer alguém, porém você não faz o tipo de pessoa que acha que o termo quantitativo supre o qualitativo.

Primeiramente, você chega à balada e observa que metade das mulheres estão com um vestido que parece uma toalha enrolada ao corpo, já a outra metade está com uma regata branca, um casaquinho de couro, saia alta, uma bolsa transversal e o insistente 212, mas até aí tudo bem pois o uniforme faz parte.

Não muito distante disso você vê alguns homens com uma camisa polo com “número 43” nas costas, barriga saliente e com as mulheres mais bonitas da festa. Alguns gastando dinheiro que não tem, outros gastando por gastar e outros como eu agora, pensando em como funciona tudo isso…

Nesse instante por algum motivo você se sente diferente daquelas pessoas.

Culturalmente instruídos a sempre segurar um copo na mão seguimos o nosso caminho em busca de algo que no fundo não sabemos se realmente faz sentido.

Alguns caras querendo se divertir e outros numa disputa inútil para ver quem é o mais frouxo. Frouxo simplesmente por não conseguir pegar uma mulher só com o papo, por não saber jogar esse jogo de homem pra homem, mas novamente até aí tudo bem pois cada um usa as armas que tem.

Em meio a tudo isso me pergunto: onde está a conquista? Cadê o charme, o ato de arrancar um sorriso sincero, de você ficar com a mulher por ter falado a coisa certa na hora certa, sem sensacionalismo só acho que as coisas estão perdendo um pouco da graça.

Então depois de consecutivas experiências dessas, você acaba vendo que o mundo de balada é muito limitado e o mais importante, que o que você tanto procura não está e nem estará ali. De forma alguma estou dizendo que não gosto de balada ou que balada é algo de pessoas “vazias”, mas infelizmente na maioria das vezes é isso que eu vejo, mulheres que só querem levantar seu ego e homens que acham que baixar um litro de bebida lhe faz ser o macho “alpha “da festa.

Cada vez mais as pessoas têm a necessidade de mostrar ser uma coisa que não são e principalmente terem seu ego exaltado, agora só falta elas perceberem que isso não leva a lugar nenhum.

Chegamos num ponto chave da sociedade, onde máscaras valem mais do que expressões, garrafas de bebida em cima da mesa valem mais do que apertos de mão e companhias falsas valem mais do que uma conversa sincera com a menina menos atraente da festa.

Por fim entenda que você pode ser uma pessoa super charmosa, educada, inteligente ou qualquer outro adjetivo, mas se a outra pessoa não for equivalente ela não irá perceber o quão valiosa você é.

  • Glayce

    Excelente texto!! Compartilho desse pensamento. De fato é exatamente de massagear o ego que a maioria gosta. E não é só na balada, não. Espero, sinceramente, que isso mude!!

  • Mariana

    Simplesmente adoro as coisas que você escreve!

  • Verônica

    Tenho exatamente a mesma opinião sobre este assunto. Acredito que há uma linha tênue em simplesmente sair para se divertir e não se importar com as roupas dos outros e suas características e sair para se exibir ou ir em busca de alguém. Geralmente você se frustra por não ser notada. Sei disso porque já tive essa experiência. Na verdade é bem como você afirmou no final do texto: “Você pode ser uma pessoa super charmosa, educada, inteligente ou qualquer outro adjetivo, mas se a outra pessoa não for equivalente ela não irá perceber o quão valiosa você é.”

  • Lara

    Mais um texto ótimo.. não é a toa que já faz um tempo que é difícil arrumar saco pra ir em baladas ou lugares do tipo. Claro que tem também o lado da diversão, como propõe a pergunta, mas se for parar pra pensar em tudo isso que você expressou muito bem, e mais um pouco, acabo me decepcionando antes mesmo de pensar em ir. E ao contrário do que muitos pensam, sempre têm sim outras ótimas opções ;)

  • Bell Castro

    Amo as coisas que você escreve. Eu vou pra balada as vezes, vejo tudo o que você disse, mas o mais divertido de estar com as minhas amigas é que saimos como queremos, nos divertimos, dançamos muito e (quase numa totalidade de vezes) voltamos pra casa sem beijar ninguém, na realidade sem procurar ninguém. Na balada tem junção de pessoas cheias de ego, mais um monte que não gostariam de passar mais uma noite trancadas em casa chorando seus problemas e uma pequena galera que só saiu pra curtir mais uma noite!

  • Edy

    Cara muito bom o seu texto, finalmente achei um lugar onde um homem pensa como eu, muito bom o site.

  • Fernanda

    Falo tudo! serio mesmo, concordo plenamente!

  • Andréa

    Sempre fui criticada por dizer que noite é lugar de gente triste. Pessoas que querem rir e precisam de combustível e incentivo… Gosto de risos e conversas desprendidas, despretenciosas, sem segundas intenções… Mas ninguém está na noite para se conhecer, só para se pegar sem se apegar. Conhecer alguém antes de pegar se tornou perda de tempo, e é “moderno” pensar assim e agir assim, eu nasci na época errada…

  • Ana

    Texto ótimo. Parabéns pelo blog. Concordo em gênero, número e grau. O duelo de egos acontece não só na balada, como em qualquer lugar que o BONITO(a) tem a oportunidade de mostrar que pode ter tudo e todos a sua volta. Eita mundão.

  • Camila Torrero

    Falou tudo!

  • Eloa

    Seus textos são perfeitos, parabéns.

  • Juliana

    Você tem uma opinião diferente,vc se daria muito bem se publicasse livros de auto ajuda, pois fala o que muitas mulheres amam ouvir…

  • Gi

    “(…) você pode ser uma pessoa super charmosa, educada, inteligente ou qualquer outro adjetivo, mas se a outra pessoa não for equivalente ela não irá perceber o quão valiosa você é.”

    Adorei. Ótimo texto.

  • Iuri Cavalcante

    Exatamento o que acho. Muito bom seu texto.

  • Pricilla Silva

    Nossa! Primeira vez que venho aqui e me deparo com esse texto. Simplesmente PERFEITO. Descreve fielmente a realidade. Parabéns!

  • Fabrícia

    Me sentia exatamente assim…mas aí descobri uma coisa que me deu acalento sentido e amor… Solidão.

  • Glenda Conrad

    Quer conhecer alguém legal (com eontúdo ?) O segredo é ir a locais interessantes aonde a prioridade não seja o carnal. Livrarias,teatro, eventos culturais, feiras, bricks . Concordo com o seu pensamento, exceto no momento em que seu eufemismo não lhe permitiu concretizar a crítica a respeito de pessoas vazias. Elas realmente são. E francamente, não tem buscado melhorar.

  • Marina

    Uau, acho que nunca concordei tanto com alguém, de verdade, foi sensacional. :D

  • LARISSA

    Nossa perfeito! Infelizmente as pessoas hoje em dia não dão as pequenas coisas, coisas que realmente valem a pena, não sabem o verdadeiro valor da conquista, de arrancar sorrisos, isso que é gostoso de sentir, nunca fui de balada, não me encaixo em lugares assim!
    E parabéns, seus textos são maravilhosos Fred!

  • Marina

    uma coisa eu te digo: que delícia velho. Homens como você está difícil de se achar. Sorte da garota que ganhar seu coração

  • Amanda

    AMO AS COISAS QUE VC ESCREVE MECHE MUITO COMIGO, SEU ÚLTIMO VÍDEO QUE VC CANTA: ”MULHER IDEAL” É INCRÍVEL E VC E LINDO MUITO LINDO SEM OS ÓCULOS ESCUROS. TE AMO SE V TIVER NAMORA VC FURAR O OLHA DELA, RSRS, SÉRIO!!

  • Miranda

    Sempre gostei de balada, porque sempre adorei dançar, mas é triste o modo todas as meninas parecem iguais e todos os caras agem idiotamente. Enfim, é por isso que prefiro um milhão de vezes minhas camisetas de banda ao invés daquelas saias e vestidos apertados.

  • Yasmine

    Você é uma pessoa de pensamentos raros, nesta sociedade destruída.

  • gabriella

    vish,tapa na cara da sociedade

  • Bruna

    Mto clichê.

  • Bruna

    “Nesse instante por algum motivo você se sente diferente daquelas pessoas.” – Isso costuma acontecer mto ultimamente! Mto bom teu texto!

  • Camila

    Falou e disse! Concordo plenamente. Esse, é o texto seu que mais gosto.

  • Inai

    Poxa, partilho da mesma opinião. Depois de frequentar a noite, a gente descobre que arranjar alguém legal na balada é tarefa muito, muito difícil (quem sabe impossível). Gostei muito do texto. Parabéns!

  • Lis

    Acho que por isso que desisti de balada porque olha, está tudo tão mecânico e tão forçado que chega ao ponto dos caras puxarem seu cabelo ou te xingar porque você realmente só que dançar com suas amigas.

  • Bárbara

    Eu simplesmente não consigo entender o que as pessoas veem de bom nesse padrão de hoje. Sou daquelas que acredita em amor e em relacionamentos sérios e duradouros, e a cada dia que passa me sinto mais deslocadas em festas…

  • debora

    parabéns, pelo texto. mto bem escrito!
    concordo em tudo, nao sei se é devido a nunca ter curtido o ambiente de balada. Nunca me senti bem.
    as vezes tenho a impressao q as pessoas vao nas baladas só para não ter q encarar elas mesma durante uma noite inteirinha. preferem ir numa balada “dançar” e conhecer gente nova.

  • Bianca Siccardi

    Cara concordo plenamente com a ANDRÉIA, muito verdade que as pessoas saem pra afogar as mágoas na balada, eu já fiz isso uma vez, e quer saber não me senti nem um pouco melhor na manhã seguinte. As pessoas tentam esquecer os problemas ao invés de enfrenta-los e acabar com eles de uma vez por todas, então vão pra balada afogar as mágoas e massagear o ego pra então poder aguentar mais uma semana…
    A gente vê tantas pessoas maravilhosas se tornando vazias e o “tentar mudar” faz as pessoas recuarem ao invés de tentar serem melhores e mais felizes. Acredito que só é feliz quem quer. (eu mesma sou a prova disso)

  • Jackson

    Ótimo texto!!! Você conseguiu retratar tudo que sinto com relação a este ambiente. Frequento, mais saio vazio, não me acrescenta nada. Tô precisando rever meu comportamento e meus conceitos…não me sinto bem :]

Comentários