Ricardo Coiro

Vive entre o soco e o sopro. Morre de medo do morno e odeia caminhar em cima do muro. Acha que sensibilidade é coisa de macho e que estupidez é atitude de frouxo. Nunca recusou um temaki ou um café. Peca todo dia. Autor do livro Confissões de um Cafamântico.

Confira 114 posts de Ricardo Coiro

Se for pra namorar - Ricardo Coiro

Se for para namorar…

Se for para namorar de maneira contida, cheia de dedos fora do lugar e temendo parecer o mais brega dos seres, qual é a […]

chegando

Desce que eu tô chegando

Desce que eu tô chegando… Não, só em 2026. Claro que é pra descer agora, cabeção! E não ouse me dizer que você já […]

dama

A dama e o bebum

Você bebe, no máximo, uma tacinha de vinho. Eu mamo, no mínimo, meia garrafa de uísque. E, mesmo assim, nosso amor não apresenta qualquer […]

Irreconhecível

Irreconhecível

Não sou de fazer barraco ou do tipo que tenta resolver imbróglios e quiproquós à força. Muito pelo contrário, mesmo nas vezes em que […]

Uma história de amor

Uma história de amor

“Má, vamos para um bar?”, sugeriu a amiga, por telefone. “Não estou legal. Obrigada!”, respondeu Marina. Marina, após terminar o namoro de sete anos […]

Brincar é preciso!

Brincar é preciso!

Um avião caiu em meio aos Alpes franceses. Cento e cinquenta pessoas morreram. Merda, merda, merda… O que dizer além de “merda”? A morte, […]

Achava que bastava café amargo

Achava que bastava café amargo

Achava que, depois daquele infindável inverno, as coisas finalmente voltariam ao normal e que aquele imenso galho seco, retorcido e cabisbaixo, seria enfim recoberto pela cor das […]